Metas SMART em 2019!

Seja na vida profissional ou pessoal é muito importante que tenhamos objetivos. Sem eles, ficamos sem direcionamento e todo o esforço realizado parece ser em vão. É fato que só pensar em objetivos, como muitos fazem no final de ano, sem nenhuma estrutura para que de fato ele aconteça, a probabilidade de você chegar em dezembro sem ter feito quase nada ou pouco, é muito grande.

No mundo das organizações, as metas garantem a mensuração do crescimento e produtividade de um time ou de um indivíduo, consequentemente resultando em melhores números para o negócio. Mas é fundamental que as metas criadas sirvam para desafiar e estimular as pessoas e nunca o contrário. E para isso, é necessário que tenha convergência com o negócio e que siga uma estrutura para garantir que as pessoas tenham uma rota previamente desenhada.

Como podemos criar metas estruturadas?
Utilizando a metodologia SMART, que é um acrônimo com as iniciais  em inglês e que aqui já utilizaremos de maneira traduzida. O método SMART é uma forma eficiente de criação de metas. Funciona como uma espécie de checklist, na qual cada meta é verificada e avaliada se possui os requisitos para atingir o resultado.

Na palavra SMART, cada letra tem um significado. Vamos falar de cada uma a seguir:

S — Específica.
Para que se consiga alcançar os objetivos traçados em uma meta é necessário que todos os envolvidos tenham claro entendimento do que se trata. Para isso, ela deve ser específica.
Usamos um exemplo que é interessante: aumentar o faturamento. Se essa fosse uma meta, isso não seria nada específico. Os colaboradores que seriam os protagonistas em realizá-la não teriam o entendimento necessário para criar um plano de ação eficiente. Agora, se a meta fosse aumentar o faturamento em 15% no ano, então seríamos específicos,  logo as pessoas sabem o que, de fato, precisam atingir.

M — Mensurável.
Toda meta criada precisa ser medida.  Se não podemos medir não podemos gerenciar crescimento. Pegando o exemplo anterior, o valor de 15% será o nosso referencial de medida, que deverá ser acompanhado mensalmente para avaliar o desempenho das estratégias e definir se estamos no caminho ou se precisamos criar outras formas de atingir os resultados.

A — Atingível.
Toda meta é criada para um negócio prosperar e para pessoas serem desafiadas e, desta forma, se desenvolverem. Por isso, a meta precisa ser atingível, possível.  Parece óbvio, não é mesmo?  Mas, muitas empresas pecam nesse ponto. E quando isso acontece, aquilo que deveria ser motivo de crescimento vira frustração. Portanto, avalie o histórico de resultados da empresa, faça uma revisão no planejamento estratégico, analise mercado e defina se, de fato, a meta estipulada faz sentido. Se for necessário, ajuste a meta inicial.

R — Relevante.
Ser relevante significa gerar efeito no negócio, caso contrário, não será tratada como prioridade. Como saber se a meta é relevante? Olhe para os números mais impactantes do seu negócio, por exemplo, faturamento, número de clientes, lucros e, então, valide a relevância do ponto a ser alcançado.

T — Temporal.
Esse fator é muito importante, é o momento que vamos colocar prazo para as metas se concretizarem.  Se você cria um objetivo e não estabelece prazo para que aconteça, ele pode ser atingido em 1 mês, 2 anos ou, provavelmente, nunca acontecer.

Agora que você já sabe o que são  metas SMART, experimente utilizar essa ferramenta, para que seu 2019 seja guiado por  um propósito claro e estruturado, só assim garantimos o atingimento daquilo que realmente é importante e significativo para nós. Ah, e não esqueça, disciplina será fundamental para que persistas ao longo da jornada, para muitos ela não será fácil, mas é possível.

Voltar

Acredite: você não sabe o que é Coaching!

05 / 11 / 2018

O processo de Coaching invadiu fortemente não apenas o mundo das organizações, mas a vida das pessoas de uma maneira geral.

Saiba mais

Investir em você: responsabilidade sua ou da empresa?

12 / 11 / 2018

Para a reflexão de hoje,  segue a perfeita citação de Benjamin Franklin já dizia: “Investir em si mesmo rende sempre os melhores juros.”

Saiba mais