Psicologia e Mundo VUCA, deu match!

Em agosto, especificamente no dia 27, comemoramos o dia do Psicólogo, profissional habilitado para usar os conceitos da Ciência do Comportamento. Para quem não sabe, no Brasil, a Psicologia passou a ser considerada Profissão no dia citado do ano de 1962 e regulamentada em 1964, pelo então Presidente, João Goulart.

Psicologia deriva do grego “psyche”, que significa mente ou alma, e “logos” que significa conhecimento, razão, estudo ou razão. Assim, a ciência da Psicologia estuda a mente e comportamento. Durante toda a nossa existência, buscamos compreender nossas angústias e inquietações, e durante muitos anos, a Psicologia focou sua atuação nas patologias e disfunções psíquicas. Porém, em 1998, um Psicólogo americano chamado Martin Seligman, nos convida a olhar a aplicabilidade da psicologia sobre outra ótica, a do bem estar, por isso, hoje, conhecemos o termo Psicologia Positiva.
Esse termo não é novo não, Abraham Maslow, no livro “A theory for Human Motivation”, publicado em 1954, dedica um capítulo ao tema, Toward a more positive psychology (em direção a uma psicologia mais positiva), salientando a importância do estudo, também, das qualidades e virtudes humanas, para uma vida mais feliz e plena.
Mas o que isso tem a ver com o que chamamos mundo VUCA? A resposta é tudo!

O VUCA é um termo de cunho militar mais precisamente criado pela Army War College, Pensilvânia. O termo foi criado para a Escola de Graduação do Exército dos futuros generais. O que motivou a criação do termo foram as situações vinculadas aos conflitos, cenários de incertezas e volatilidade somados às medidas ambíguas tomadas na época. Deste contexto, o mundo corporativo associou à similaridade dos cenários e hoje a usam também para expressar a realidade dos negócios.

Aplicando o conceito para o momento atual, o VUCA se representa pela volatilidade das mudanças, tecnologias, vírus, finanças, somadas às incertezas que consigo trazem instabilidade, emocional principalmente, a complexidade de encontrar uma única resposta ou verdades absolutas e, com isso, o dilema de construir planejamentos e a convocação para decidirmos rapidamente sobre situações com ambiguidades…difícil né?

No dicionário, MUVUCA significa agitação, tumulto, não é, de fato, o quê estamos vivendo? Um tumulto de informações, aliás, onde estão as verdades? Uma agitação interna, desconforto, nada calculado, incertezas, medos, na muvuca a inteligência emocional passa a ser a “soft skill” mais desejada – até então negligenciada por inúmeros cenários e pessoas. Entenda que inteligência emocional não é apenas sobre conhecer e gerenciar emoções, é sobre aplicá-las nos momentos adequados.

E é exatamente nesse cenário que temos o match entre Psicologia e VUCA. A combinação da ciência que estuda e compreende os comportamentos versus um mundo que exige mudanças de respostas, novos reforços, condicionamentos, forças de caráter, novas formas de ver e viver. E então, ela – a ciência que durante muitos anos foi motivo de vergonha para muitos, sim, as pessoas tinham vergonha de dizer que iam a Psicoterapia, pois logo alguém perguntava, você tem problemas? Logo ela, de vilã, virou a mocinha da história. Como fazemos para engajar pessoas, para desenvolver habilidades sociais ou soft skills, como, como?

Agora existem até os Pseudo Psicólogos, aqueles que “entendem” de comportamento após um curso de alguns dias.
A Psicologia tem embasamento, recursos, escalas, metodologias, técnicas e procedimentos para construir pessoas mais conscientes, mais resilientes e, claro, mais adaptáveis. A Gestalt, uma abordagem da Psicologia, trabalha figura e fundo, e como não utilizar esse conhecimento para aprimorar conflitos, relacionamentos e aumentar perspectivas sobre um mesmo ponto, o que para o mundo VUCA se torna estratégico, já que ajuda a minimizar complexidades e incertezas.

Já em uma visão Cognitiva Comportamental, outra abordagem, comportamentos são respostas que se originam em pensamentos. E pensamentos, devem e podem ser desenvolvidos, o que podemos chamar de flexibilidade cognitiva, uma das soft skills apresentadas no World Economic Forum, em Davos, como uma das competências exigidas para os profissionais do futuro(presente). Logo, respostas diferentes, treinadas por técnicas psicológicas, ajudam pessoas a se tornarem mais criativas, protagonistas e várias outras competências que o mundo atual nos solicita.

Quanto mais as pessoas se conhecem, mais se tornam conscientes e sabem quais são suas forças de caráter, ou seja, suas características que lhes permitem viver em convergência com suas virtudes, e claro, com maior facilidade se adaptam em cenários tão nebulosos e incertos. Outro ponto relevante e que a Psicologia proporciona é a capacidade de oferecer respostas ágeis, garantindo sobrevivência e competitividade, e claro, isso acontece por meio do desenvolvimento do nível de confiança interna e do conhecimento sobre quais recursos podem ser acionados e que trarão respostas interessantes para os cenários em que cada indivíduo está inserido.

Por isso, no dia de hoje, comemoramos e reconhecemos a atuação de todos os profissionais que com seriedade e comprometimento divulgam a Psicologia como a ciência que contribui para uma vida com mais entendimento e bem estar e em um mundo tão insano, como não precisar disso?! Psicologia e VUCA o match que vai contribuir para um mundo ainda mais interessante.

Voltar

A coragem de ser imperfeito.

29 / 01 / 2019

Na vida não temos certeza de absolutamente nada, vivemos em um mar de incertezas. Mas quem disse que viver incertezas precisa ser algo negativo?

Saiba mais

Não esqueça de usar suas digitais!!

09 / 07 / 2020

Não esqueça de usar suas digitais!! Vivemos a era das tecnologias, experiências virtuais e inteligência artificial, tudo isso para otimizarmos tempo, aprendermos de forma ágil e também, dentro de cada área de atuação, nos tornamos criadores de conteúdo (isso é meio perigoso e inevitável). Quando uso o termo digital, penso, claro, em tecnologia e nos […]

Saiba mais